Histórias de Sucesso: Alessandra emagreceu 18kg sem abrir mão da pizza e do chocolate

03/1212:26hrs

Para realizar o sonho de ser mãe, a moça entrou em forma – e nunca mais engordou

Thiago Arioza, especial para o iG

Olhares de censura, apelidos maldosos e insatisfação com o próprio corpo já não fazem parte da vida de Alessandra Casara Santos. Quem olha para a paranaense de 30 anos nem imagina a história de sofrimento deixada para trás – junto dos 18kg que eliminou em seis meses. Com uma re-educação alimentar ela chegou ao resultado nunca obtido com dietas mirabolantes, medicamentos e privações que terminavam sempre com o temível "efeito sanfona". "Tentei várias vezes ficar sem jantar, tomei fórmulas que temporariamente me fizeram emagrecer, mas depois eu engordava tudo de novo e mais um pouco", conta.
 
Deprimida pela impossibilidade de ter um segundo filho devido ao excesso de peso e hipertensão, decidiu que teria um corpo saudável para enfrentar uma nova gravidez. E conseguiu. Além do bebê que tanto sonhara – e uma gestação saudável –, a iniciativa lhe rendeu um visual mais jovem e um guarda-roupas novo. Sair dos 74kg e chegar aos 56kg, com 1,59m, até que não foi tão difícil, comparado ao preconceito e a intolerância de antigas amizades. "Mulheres que se diziam amigas vieram me falar que eu era ranzinza, que eu me vestia como uma velha e que certamente meu casamento não era dos melhores." 
 
Mais equilíbrio, menos peso

A vida nova teve início após excluir boa parte dos carboidratos presentes nas refeições. No café da manhã, optou por pão integral e, no almoço e jantar, apenas uma pequena porção de arroz ou macarrão com refogados, carnes magras e muita salada. Nos intervalos e lanches, somente frutas. Parou de tomar refrigerantes e preparar frituras. Começou a beber mais água e no inverno também experimentou chás diuréticos e digestivos, plantados em sua própria horta. O hábito de comer pizza aos sábados permaneceu, o que mudou foi apenas a quantidade: de cinco pedaços passou a se contentar com apenas um. Também não precisou abrir mão do chocolate, consumido com moderação. Quando menos esperava as calças de número 46 estavam largas. Era hora de comprar roupas novas, desta vez, manequim 38. "Quando tenho que sair, não me preocupo mais com a roupa que vou usar. Continuo me vestindo de acordo com o que gosto, claro, agora com muito mais opções."
 
Três anos depois, Alessandra continua com os mesmos hábitos alimentares, sem jamais ter engordado novamente. Deu tão certo que a tão desejada filha, na época com 2 anos e meio, aprendeu a se alimentar de forma correta também e não faz questão de comer salgadinhos e bolachas. Com exceção do chocolate, mãe e filha não comem nenhum outro tipo de doce. "Depois que iniciei minha reeducação, nunca mais tive a sensação que ia explodir ou ter mal-estar por comer demais. Hoje em dia, não consigo mais comer além do que preciso para o sustento do meu corpo". Ela conta que o que mais ajudou foi o fato de não gostar muito de doces, além de não ser uma pessoa ansiosa, o que lhe garantiu equilíbrio e disciplina, sem nenhuma recaída. "Nunca tive compulsões, claro que não era toda semana que perdia a mesma quantia de peso, mas desde que iniciei não desisti”. 
 
Apoio às amigas
O tempo foi passando e o novo estilo de vida motivou Alessandra a ajudar outras pessoas por meio da internet. "Comecei a ajudar as meninas de uma comunidade do Orkut. Cada novo membro que entrava eu logo dava as boas vindas e começava o trabalho de motivação com a pessoa. Logo a dona da comunidade me passou como proprietária e meu trabalho ficou ainda mais gratificante, pois percebi que as pessoas precisavam apenas de palavras que os motivassem e as dessem força pra mudar suas vidas". O incentivo fez triplicar o número de membros na comunidade e ampliou a participação, com a criação de desafios e recados de apoio. "Ajudávamos mutuamente a prosseguir nossa caminhada rumo a uma vida mais saudável". 
 
Outros aliados
Como quase toda pessoa que perde muito peso, Alessandra perdeu um pouco da rigidez na pele. "Fiquei com algumas partes do corpo mais flácidas, como coxas, braços, e barriga, mas não fiz nenhuma cirurgia até o momento". Ela garante que em quatro meses de musculação, massagens modeladoras e outros métodos em clínicas de estética, resultaram em uma musculatura mais definida e o corpo mais torneado. "Até penso em fazer algo em relação aos seios, mas não gostaria de colocar silicone. 
 
Quem mais aprovou a transformação foi o marido. Com sete anos de casamento, Alessandra acredita que o apoio do esposo foi fundamental para chegar onde queria. "Ele sempre comenta que começou a namorar com uma garotinha de 15 anos, se casou com uma mulher de 23, e ganhou uma esposa nova depois dos 30", brinca. Naturalmente, o ciúme aumentou. Hoje os elogios são recebidos diariamente. "Quando me produzo pra sair então, sou recebida com olhos brilhantes cheios de orgulho do meu esposo e da minha filhota, que me diz todos os dias que sou a mãe mais linda do mundo".