Outro dia na faculdade uma colega de curso que é pentecostal disse que queria falar comigo… Depois de um tempinho ela me chamou e me disse o seguinte: Núbia Deus me revelou que tem gostado muito do teu trabalho, você é uma pessoa que se preocupa muito com os "excluídos"… Sou do tipo que ligo, que cobro, que não faço exceção de pessoas e costumo englobar os que estão "fora"…depois da declaração dela, sendo de Deus ou não fiquei feliz por que sei que sou assim e estou fazendo minha parte… Sábado após o evento no qual fui com meu esposo (Léo Gonçalves e Cia)aconteceu algo que fiquei um pouco triste, atitudes estranhas de terceiros…acho que  me decepcionei, sabe quando você não espera algo, mas tudo bem…supera-se!!! Sou uma pessoa do coração bem grande e nele cabe todo mundo, preto ou branco, rico ou pobre, adoro ouvir, conversar, ajudar, participar…

Hoje eu conversava com meu esposo que talvez eu tenha amigos que nem me considerem seus amigos… (risos) Pq me preocupo tanto com eles…

Bem, a vida é engraçada e existem coisas que nos surpreendem todos os dias, mas como seres humanos dotados de inteligencia já deviamos estar preparados para tudo… Quando vim do Maranhão morar no Rio de Janeiro meu maior medo era adaptação, afinal foi toda uma vida criada com outros costumes, cercada de amigos, familia… Tenho que admitir que foi dificil…

Porém com o tempo tenho percebido que algumas coisas são iguais outras bem diferentes!!!
Porém o que mais sinto falta é da minha familia e dos amigo, nossa como fazem falta… Ontem por exemplo no evento em que fui (Leo Gonçalves), como gostaria de  "teletransportar meus amigos todos para cá", para rirmos, jogarmos conversa fora, contar piadas mesmo aquelas sem graça, fazer uma social, comer uma pizza, tomar água de coco na praia…" tempos  bons esses que nunca sairão do meu coração…
Mas como não tenho esse poder… Nada posso fazer…
Eu não sou de aparecer muito, sou até tímida,mas aos poucos tenho descoberto meu dom… Tenho que me acostumar com os amigos novos, afinal tenho que me acostumar com um monte de coisa nova…como sou uma conselheira, muitos até já me perguntaram porque não fiz psicologia (risos) hoje mais uma vez conversando com uma adolescente eu disse a ela que: É melhor de ter poucos amigos mas que sejam para o resto da vida, a ter dezenas e não ter nenhum…