Não posso negar que estou muito, ansiosa, nervosa…Afianl estou feliz, é a ultima etapa daAcademia para finalmente me tornar Pedagoga, na verdade é só uma pequena etapa, ainda pretendo ir muito longe…Hoje com apresentação da Monografia não posso negar realmente que estou nervosa, mas tenho ceretza que tenhos muitos amigos estão orando por mim, hoje alguns até me ligaram so pra dizer que estão trocendo e que vai dar tudo certo… Eu realmente estou muito feliz…creio que ira dar tudo certo, pelo menos não estarei sozinha, tenho a companhia de Paula e Helena…mas fikei sem duvida com a parte mais trabalhosa a fundamantação teorica…Eu ate resolvir escrever o que vou falar so pra não esquecer…mas prtendo é claro falar naturalmente…olha só:
 

2 – APRENDIZAGEM TECNOLÓGICA

 

2.1 Novas Formas de Produção do saber

 

Neste momento adentraremos a nossa fundamentação teórica, que tem por título Aprendizagem Tecnológica e como primeiro subtítulo, Novas Formas de Produção do Saber.

Este tema nos leva a pensar como produzir novos conhecimentos no ambiente escolar em meio a tantas informações e desenvolvimentos tecnológicos? De certo, que a escola não muda a sociedade, mas pode interferir criticamente nesta transformação. Se a escola não muda, como pode interferir na vida de cada individuo? Através das articulações de novos conhecimentos e informações promovendo a socialização dos educandos, por isso é essencial a inserção de novos recursos para uma nova produção do saber.

 

Conforme Coll, a educação escolar é apenas uma entre muitas outras das práticas sociais. E isso se torna um grande desafio pois além do educador,  tem que fazer parte também deste processo, a família, o próprio educando e a sociedade, podem ocorrer, lutas, rupturas, avanços, recuos. Para que essa pratica social escola seja concretizada é essencial a criatividade do educador, além da interação, utilização de tarefas socializáveis, incentivar o desenvolvimento pessoal e do grupo.

E para que isso ocorra é suma importância a o planejamento que segundo Ostetto, planejar é uma atitude de trocar, projetar, elaborar um roteiro para apreender uma viajem de conhecimento e interação e este não pode ficar só na intenção.

 

2.2 – Linguagem Televisiva

 

Mediante a tudo o que foi relatado anteriormente falaremos da Televisão que segundo Vânia Carneiro, é o meio de comunicação predominante, instrumental de socialização, entretenimento, informação, publicidade, composto em função dos interesses do mercado.

Bem sabemos, que a TV hoje abrange boa parte de nossas casas, escolas e até mesmo zonas rurais. Mas o que esperamos da Escola em relação a este recurso audiovisual? Sem dúvida que esperamos que a escola faça da TV:

  • objeto de estudo;
  • conhecendo a programação, condições de produção;
  • de recepção e a incorporação desses programas pedagogicamente.

 

Estudos garantem que se deve abordar a educação-televisão a partir de três perspectivas complementares:

·         Educação para uso seletivo da TV;

·         Educação com TV;

·         Educação pela TV;

Na educação seletiva pela TV; objetiva-se, desenvolver competência nos alunos para analisar e ler com criticidade e criatividade os programas;

Quanto a educação com TV; , se utilizam programas com estratégia pedagógica para motivar aprendizados, despertar interesses e problematizar conteúdos.

Já a educação pela TV; significa comprometer emissoras a ofertar mais e melhores programas ao publico infanto-juvenil.

 

 

2.3 – A Difusão das Tecnologias da Mídia na Escola  

 

Para alguns professores foi um susto quando se iniciou a discussão sobre a introdução do uso do computador na educação escolar. Logo imaginaram que teriam que se preocupar com mais uma tarefa em seu dia-a-dia já tão atribulado. Para outros, a inserção do uso da tecnologia foi mais serena. Mas de qualquer maneira, paira a dúvida: De que maneira é possível usar o computador na educação?

 

Para alunos de menor idade, a utilização do desenho como atividade organizada sistematicamente pelo educador é um instrumento muito rico no seu desenvolvimento cognitivo  porque:

 

  • Eles escolhem o que desejam desenhar para representar uma idéia;
  • Organizam as imagens empregando noções de espaço;
  • Exploram cores, formas,;
  • Empregam noções de estética;
  • Buscam referenciais e retratam situações vividas em seu cotidiano para concluir a intenção do que desejam comunicar através da representação gráfica;
  • Além do mais, utilizam também outro recurso que é a escrita para complementar uma idéia que desejam transmitir através do desenho.