Sociedade Mascarada

 

 

Porque somos mascarados? Porque não jogamos bem distante essas máscaras? Além da desigualdade social, temos que presenciar o racismo, violência à mulher, pedofilia, enfim, se fossêmos relacionar todos os problemas sociais passaríamos horas por aqui.

Mas neste momento irei falar um pouco sobre a máscara do racismo, em outro momento, falarei dos outros assuntos.

É de se notar hoje que, quanto mais poder aquisitivo ou instruído o jovem, maior é a probabilidade de se tornar ou já ser racista de berço. É triste, muito triste, que os jovens brinquem com coisas tão sérias. È como se os negros fossem uma classe excluída, ou não fossem também pessoas. Imaginem o que esses racistas conversam entre si, vou tentar nem imaginar… Mas pelos menos estamos provando pra muita gente que as oportunidades estão caindo em nosso terreno estão sendo bem aproveitadas, hoje vemos negros em altas posições sociais e isso os incomoda. O mais engraçado é que muitas vezes essas mesmas pessoas, trabalham para o negro, ganham seu meio de subsistência do negro e continuam falando do negro, isso é hilário. Quem eles pensam que são? Pensam que não nos ofendem? Por outro lado vemos também pessoas em sua maioria brancos que classificam os negros como “URUBUS e MACACOS”, referem-se a lugares de baixo escalão como se só a classe negra freqüentasse, até parecesse! Para completar ainda existe o próprio negro que não se aceita isto é cúmulo…

 Em suas índoles medíocres não percebem o mal que fazem a eles mesmos e as gerações futuras, pois o que aprendemos em nossas escolas? Que somos um país miscigenado,  ainda se dizem descendentes de negros ou índios, mas não é o parece. Aprendemos também que os Europeus se aproveitaram de nossas riquezas o quanto podiam, se tornaram a classe mais respeitada e até hoje rica em nosso país, não é de admirar… Os índios esses lhes restou perdas de território, morte, doenças trazidas pelo homem branco, novos costumes, novas línguas, doutrinas e quanto aos negros, foram arrancados a força de seus países de origem tendo que deixar suas casas, seus filhos, esposas, seus pais, para se tornarem escravos em terra estranha. Dar até pra imaginar a cena. Quer mais?

As pessoas racistas se fazem de desentendidas e ficam perguntando: Agora não podemos chamar mais ninguém de Negro? Preto? O fato não é chamar o individuo de preto ou negro e sim como chamá-lo! E esse tipo pronúncia discriminatória medíocre é comum em nossos dias.

Eu creio que não tenha grupos que mereçam mais respeito neste país do que os negros e índios, pois ainda hoje formam a classe emergente da sociedade. E merecem tudo, tudo o que estiver à disposição do governo, melhores escolas, melhores universidades, melhores empregos, melhores oportunidades. Quem mandou tirá-los de seus espaços? Afinal, eles tinham seus espaços.

O governo já esta chegando atrasado, talvez se tivesse aberto esse leque há mais tempo, tudo poderia ter amenizado.

Todos sabem que é uma equiparação injusta, e os próprios racistas sabem disso, mas são tão medíocres que até as poucas chances que são geradas a estes grupos são motivos de raiva.  Porque não querem vê-los no poder, não querem médicos negros, nem advogados, nem professores índios, nem psicólogos, não gostam das mulheres negras. Mas e daí? Que nos engulam e se calem.

Esta é a chance, a cada diploma recebido por essa que é a classe ainda pobre do País é uma vitória.

Alguns falam que o governo esta dando oportunidade aos pretos, aos índios, aos afro descendentes, segundo eles estas oportunidades deveriam ser abertos ao pobres, eu também concordo plenamente. Agora faço-lhes a seguinte pergunta: Quem são os pobres do Brasil? Quais as crianças que em sua maioria estudam em escolas públicas? Quais as crianças do Brasil que possuem oportunidades ?

Como Pedagoga, ainda não acredito no sistema brasileiro de ensino que prepara uns e emergem outros. A LDB anda longe de ser realista para todos, deveríamos primeiro preparar a base das escolas públicas para tornar alunos preparados para uma vida cheia de adversidades, prepará-los até para a realidade do racismo. Mas será que as pessoas estão preocupadas em preparar crianças pobres para o mundo?

Creio que já foi o tempo de ensinarmos aos alunos negros e indígenas, sobre miscigenação porque é uma realidade inexistente em nossa sociedade, o que existe são classes sociais onde os que têm mais querem sobrepor-se aos outros, essa é a realidade que temos que enfrentar.